Café beira rio 2
Leitor

A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas em pé, terno e atividades ao ar livre

19 de Novembro comemora-se o Dia da Bandeira Nacional, um momento para afirmar a independência de um povo ao mesmo tempo em que alimenta sonhos e renova esperanças. E em Jacobina a data foi marcada com uma solenidade na Praça da Bandeira, no Bairro do Leader. O evento foi promovido pela Prefeitura de Jacobina e contou com a presença do prefeito Luciano Pinheiro, o vice-prefeito Clériston Alves, secretários municipais, Tiro de Guerra 06-008, Polícia Militar, Polícia Rodoviária Estadual, Filarmônica 2 de Janeiro, Desbravadores, professores, alunos e a comunidade.

Para o prefeito de Jacobina, Luciano Pinheiro, esse é um momento de resgate da cultura e do civismo. “Esse evento é importante tanto para o resgate de nossa jacobinidade quanto do nosso patriotismo. É um ato que eu vivi na escola e que com o passar do tempo estava se perdendo, então é preciso fazer a nossa parte para despertar essa consciência nas pessoas, e, se conseguimos ver essa praça cheia, é porque conseguimos atingir o nosso objetivo” contou.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé e atividades ao ar livre

A programação do dia contou com a execução do Hino Nacional pela centenária Filarmônica 2 de Janeiro, uma declamação feita por alunos da Escola Municipal Armando Xavier e leitura da Ordem do Dia do Exército Brasileiro pelo Major EB Florentino Cardoso de Assunção Sobrinho. Participaram do hasteamento o prefeito Luciano Pinheiro, o major EB Assunção e o tenente PM Mattos.

Para o secretário da Educação e Cultura André Sampaio, “esse é mais um evento resgatado pela Prefeitura de Jacobina em uma sintonia com as diversas secretarias, pois é necessário trazer o povo para participar da gestão Compromisso e Trabalho, trazer para as ruas, para as praças. Esse também é o grande papel da Secretaria Municipal da Educação e Cultura, o resgate das nossas manifestações, apesar dessa crise moral, ética e política que estamos vivendo, mas esse sentimento de pertencer a um povo, uma nação e a uma história não podemos perder de vista em hipótese alguma” destacou.

Ascom PMJ