Leitor
Café beira rio 2

Foto Arquivo: www.jacobina24horas.com.br

 

CACA: "nunca contratarei, nem mesmo recebi dinheiro de forma ilegal"

O ex-prefeito de Miguel Calmon, José Ricardo Leal Requião,  popularmente apelidado de Caca, publicou uma nota de esclarecimento sobre uma denúncia falsa, na qual o mesmo é acusado de “ser investigado na Operação Lava Jato da Polícia Federal”.

Em tom de desabafo, Caca postou uma mensagem, através do grupo Notícia Livre, no WhatsApp, onde rebate a falsa acusação: Confira:  

 “Venho aqui esclarecer, apenas para evitar qualquer tipo de interpretação maldosa e irreal, que não existe nenhuma investigação a meu respeito na operação Lava Jato e que de fato na eleição de 2012, a minha campanha recebeu uma doação de forma legal da empresa UTC. Informo ainda que na condição de prefeito municipal nunca mantive relação com as empresas envolvidas na referida operação. Ressalto, ainda, que em nenhum momento a UTC foi contratada nos períodos em que fui prefeito do Município de Miguel Calmon. Se este valor doado teve alguma origem ilegal, como poderia saber?. Como se sabe, as pessoas investigadas são aquelas que na condição de homem público supostamente receberam propinas dessas empresas em troca de favores, e/ou na condição de gestores públicos contrataram essas empresas através de valores superfaturados, o que não é o meu caso, pois nunca contratarei, nem mesmo recebi dinheiro de forma ilegal. O simples fato de receber 20 mil reais de doações de campanha de forma legal e declarada jamais me tornará alvo da citada operação, vez que a UTC não recebeu nenhum benefício público em troca da citada doação, até mesmo porque nunca realizou qualquer contrato com o Município no período em que fui prefeito. É importante informar, também, que jamais trabalhei na Petrobras ou detinha qualquer ingerência na citada empresa pública, como posso ser alvo da citada operação, se nunca contratei a UTC, sendo que jamais trabalhei na Petrobras, nem mesmo fui funcionário da empresa investigada. É evidente que para ser alvo de alguma operação, o cidadão tem que está envolvido com os fatos apurados, e ter participado do suposto esquema, o que não é o meu caso, como bem explanado acima!! A primeira parte da matéria que foi veiculada, no meu ponto de vista, de forma irresponsável, foi produzida por um Blog de Miguel Calmon”, esclarece o ex-prefeito.