Leitor
Café beira rio 2

Por Cledson Sady

Em 2005, na primeira gestão do Dr. Rui Macedo, fui incumbido pelo então grupo gestor da saúde, estimulado pelo prefeito, a pensar numa rede de cuidados para pessoas com sofrimento psíquico, até então inexistente na cidade.

Nem mesmo na rede privada contávamos com profissionais especializados neste tipo de cuidado e nossos cidadãos com algum tipo de sofrimento psíquico ou usuário de álcool ou outra droga era encaminhado para internações de longa permanência em hospitais psiquiátricos, quando muito. Na maioria das vezes permanecia em casa, isolados num quarto, trancafiados, sofrendo e fazendo sofrer toda a família, vizinhos e amigos.

Em 2005 foi iniciado um grupo multiprofissional em saúde mental, sendo iniciados os atendimentos e estruturado o projeto de um Centro de Atenção Psicossocial (Caps) tipo II, inaugurado em 14 de outubro daquele mesmo ano.

Este modelo de Caps deve atender até 220 pessoas com sofrimento psíquico severo e persistente, adultos. Mas, em pouco tempo, meses, estávamos com mais de 600 pacientes, percebendo grade demanda de usuários de álcool e outras drogas e de crianças necessitando de cuidados especializados.

Assim, em setembro de 2006, inauguramos o Caps AD (Álcool e Drogas) Jacobina, unidade especializada em cuidar de pessoas usuárias de álcool e outras drogas, maiores de idade. Foi o centésimo Caps do estado da Bahia, quinto Caps desta natureza no estado, quando Salvador abrigava apenas uma unidade, gerenciada pelo governo do estado, em parceria com o CETAD e UFBA. Parecia algo que não estava ao nosso alcance, mas era necessário.

Aquela primeira equipe, chegada através de seletivo, teve que ir até os que precisavam, pois não existia o hábito no setor de saúde de olhar para esta clientela e assim eram cada vez mais excluídos. Poucos buscavam o serviço espontaneamente. Mas, depois de dez anos, retomando esta lógica territorial, deixada de lado por algum período, estamos com cerca de mil cadastrados, quando a capacidade de atendimento é 190 pessoas, segundo manual do Ministério da Saúde.

Gostaria de parabenizar todos os profissionais do Caps AD Jacobina, pela dedicação, persistência, resiliência em lidar com clientela com tantas demandas, mas que responde tão bem ao afeto e carinho de quem cuida.

Parabéns também aos amigos e seus familiares que buscam cuidado naquela unidade, ao atual gestor, que apostou na implantação daquele serviço e continuou a dar autonomia à lógica da redução de danos, muito pouco entendida pela maioria dos profissionais de saúde.

Parabéns Jacobina pela vanguarda na implantação de um serviço desta natureza, pelos dez anos de Caps AD.  
                    

*Cledson Marlos Pinheiro Sady é Cirurgião Dentista, efetivo da Secretaria de Saúde de Jacobina, Especialista em Saúde Pública, Terapeuta Comunitário.